The 4400 – Welcome to Promise City (Capítulo 5 traduzido)

Publicado: 16 de janeiro de 2010 em The 4400

Aí vai o capítulo dessa semana de The 4400. Não esqueçam dos comentários! =D

Bom, antes disso, gostaria de convidá-los a conhecerem um pouco do livro que eu escrevi. Vou deixar o link do prólogo e, quem ler, comente postando sua opinião. Podem elogiar, criticar, o que quiserem…hehehe.

https://brenooficial.wordpress.com/2009/07/07/prologo-breno-o-anel/

CINCO

 

Num dia comum, o cemitério Emerald Harbor era uma ilha de serenidade em meio ao resto da Terra Prometida. Estátuas de mármore cravejavam a encosta gramada. Anjos esculpidos assistiam sobre a grama cortada. Salgueiros ofereciam sombras no verão. Uma cerca moldada de ferro geralmente matinha a correria e o tumulto do mundo exterior longe dali.

            Mas não hoje.

            Uma retroescavadeira ruidosamente retirava a terra em frente à lápide de Danny Farrel. A inscrição no granito simplesmente dizia “IRMÃO E MARIDO AMADO”. Uma outra lápide, carregando o nome completo de Danny, fora vandalizada de muitos modos. Muitas pessoas ainda culpavam o pobre Danny pela morte de seus entes queridos. O túmulo de sua mãe, adjacente ao dele, agora carregava apenas seu nome de solteira: Susan Baldwin.

            — Você não precisa ficar aqui para isso — disse Diana a Tom enquanto eles assistiam à enxada mecânica arranhar profundamente a terra. A sujeira espirrava no túmulo de sua irmã. O céu estava nublado e carregado. Um guindaste industrial estava ali perto para levantar o caixão quando ele fosse exposto. Diana falava suavemente com seu parceiro. — Meghan e eu podemos cuidar disso.

            Tom balançou a cabeça.

            — Não. Se alguém mexeu com os restos mortais de meu sobrinho, eu quero saber.

            — Bem, estamos aqui por você, Tom — disse Meghan Doyle. A diretora da sede noroeste da NTAC estava ao seu lado, mantendo sua mão aquecida. Cabelos loiros ondulados caíam por seus ombros. Olhos castanhos escuros brilhavam com compaixão. — Sabe disso.

            — Obrigado — disse ela às duas mulheres. — Eu aprecio isso.

            Além dos agentes da NTAC, o acompanhamento à exumação era composto por poucas pessoas: um legista, sem ligações com Jordan Collier ou com o Movimento, pelo que sabiam; o diretor do cemitério; e o time de exumação em si. Shawn se oferecera para ir, mas Tom lhe garantira que não era necessário. Ele não mencionara o desinteresse de Kyle, tampouco. Infelizmente, seu filho era muito próximo a Collier para ser confiado com essa informação. Tom só podia desejar que um dia não houvesse mais segredos entre eles.

            Talvez quando o futuro se concretizasse, de um jeito ou de outro.

            Uma cerca fora levantada ao redor para ocultar os procedimentos de vista. Eram apenas sete da manhã e Tom vira alguns visitantes caminhando pelo local quando chegara, e a cerca lhe parecia uma boa ideia. Ele imaginava se Simone Tanaka os estava observando de longe.

            Provavelmente.

            Quando o buraco já estava bem fundo, os escavadores começaram a trabalhar com pás. Os homens cuidadosamente tiraram o resto da terra para descobrirem o topo do caixão de Danny. Uma apreensão esmagadora tomou Tom quando o guindaste começou a puxar o caixão da cova. Agora que o momento estava bem diante deles, ele não sabia se podia continuar com aquilo. Lembranças de Danny criança e com um rosto puro invadiram seu cérebro; Danny estava feliz e saudável na última vez que Tom o vira vivo. Ele engoliu em seco.

            Meghan deu um aperto tranquilizador em sua mão.

            — Vai terminar logo.

            Tom queria poder acreditar naquilo. Seria tudo um falso alarme, ou eles estavam ali para uma surpresa desagradável?

            O guindaste elevou o caixão até uma lona. Lama escorria pelos lados do objeto de mogno, que perdera muito de seu brilho polido depois de dois meses abaixo da terra. Uma van esperava do lado de fora da cerca para levar os restos ao necrotério privado da NTAC. O legista deu um passo à frente para examinar o caixão. Stefan Vasco era um cirurgião cardíaco aposentado, que vinha atuando como médico inspetor desde antes de os 4400 retornarem.

            — Talvez — ele sugeriu. — seria melhor conduzir o resto da exumação em outro lugar.

            — Não — insistiu Tom. — Vamos terminar logo com isso.

            — Como quiser. — Vasco esfregou mentol abaixo de seu nariz. — Devo alertá-los de que isso não será prazeroso. Pode haver um forte odor.

            — Nós entendemos. — Diana o assegurou. Como agentes da NTAC, eles estavam mais familiarizados do que gostariam com efeitos de morte. Durante os últimos anos, haviam visto seres humanos eletrocutados, queimados vivos, e devorados pelos seus próprios animais de estimação. — Por favor, continue.

            Sem mais avisos, o legista destravou o caixão. As dobradiças enferrujadas rangeram enquanto ele levantava a tampa. Linhas esfarrapadas penduravam-se por ela como teias de aranha. Um fedor repugnante, como queijo estragado, emanava do caixão aberto. Tom franziu o rosto e colocou a mão na boca. O dono do cemitério e os escavadores se afastaram do caixão. Um dos homens parecia estar prestes a vomitar. Ele saiu correndo o mais rápido que conseguia.

            Tom mal notou sua saída apressada e soltou a mão de Meghan.

            — Permita-me — voluntariou-se Diana, mas Tom a deixou para trás para olhar dentro do caixão. Tom arfou alto.

            O corpo dentro do caixão havia se resumido a cabelos e ossos. A pouca carne que sobrara estava enrugada e azulada. Os lábios haviam se decomposto para deixar à mostra uma caveira. Buracos vazios olhavam sem expressão de um rosto murcho. O mofo incrustava um terno escuro desgastado. Mas foi a barba cinza que imediatamente chamou atenção de Tom. Seu sobrinho era um jovem bonito quando morrera.

            De quem quer que fosse o corpo no caixão, não era o de Danny Farrel.

           

            — Olá, Richard — disse Jordan Collier. — Bem-vindo de volta à Seattle.

            O auto-proclamado líder dos 4400 estava parado diante de uma enorme janela que com vista panorâmica do lago Washington. Cabelos negros e uma barba bem-feita com um bigode o assemelhavam nitidamente a um antigo messias com as mesmas iniciais, um visual que Richard suspeitava que Collier cultivava de propósito. O líder carismático do culto fora um bem-sucedido magnata de negócios antes de se tornar um revolucionário. Como Richard sabia por experiência própria, Jordan sempre tinha algum plano em mente.

            Imagino o que ele quer de mim agora, pensou Richard. Ele não ficara tão surpreso ao descobrir que Collier for a o responsável por seu resgate na prisão. Quem mais tinha os recursos, e a audácia, para preparar uma operação como aquela? Richard se aproximou do outro homem cautelosamente.

            — Não quer dizer Terra Prometida?

            — Vejo que se manteve informado sobre os acontecimentos recentes — disse Jordan, com um sorriso. Diferente do conjunto costurado de três peças que ele usara, sua vestimenta agora consistia em trajes folgados simples. Vestindo um sobretudo negro por cima de uma túnica branca de algodão, ele parecia mais um eremita ascético do que o ditador de Seattle em si. — Ótimo.

Ele gesticulou para uma poltrona ali perto.

— Por favor, fique à vontade.

            Depois de levarem Richard de volta a Seattle, a equipe de resgate o trouxera até aquela luxuosa casa de lago segura dentro dos limites da cidade. A mobília elegante era limpa e moderna. Uma madeira enfeitava o teto sala. Uma pintura Impressionista de um pôr-do-sol estava pendurada em uma parede perto do hall de entrada. Uma confortável poltrona de couro branca estava perto de uma mesinha de centro de aço e vidro. Um jarro de água gelada jazia na mesa. Um par de guarda-costas espreitava silenciosamente ao fundo. Eles examinaram Richard cuidadosamente enquanto ele se sentava na poltrona. Um conjunto de roupas limpas havia substituído o seu traje de prisão manchado de sangue. Seu rosto ainda estava machucado devido à surra que levara antes de ser resgatado. Suas costelas ainda latejavam de dor.

            — Sinto muito pelo seu homem, Sanchez — disse ele.

            — Obrigado — respondeu Jordan. Uma voz rouca mostrava seu pesar. — Essa foi, de fato, uma infeliz tragédia. Hector era um homem bom e um soldado leal. Construir um novo mundo requer sacrifício, no entanto. Ele não foi o primeiro a dar a vida pela nossa causa. Nem, receio, será o último.

            Ele se sentou em frente a Richard.

            — Mas todo esse sofrimento e tumulto valerão a pena quando o Movimento cumprir seu destino e trazer paz e prosperidade universal à Terra.

            Certo, Richard pensou, duvidosamente. Ele tentou conciliar a retórica sublime de Jordan com o homem de negócios sem compaixão que ele conhecera quatro anos antes. Os dois homens tinham um relacionamento longo e problemático. Embora tivessem trabalhado juntos em uma ocasião, Collier frequentemente interferira na vida de Richard, e até tentara colocar Lily contra ele uma vez. Richard sentava-se rígido na borda da poltrona, esperando Collier ir direto ao assunto.

            — O que você quer, Jordan?

            — Apenas dividir algumas informações com você. — Ele olhou em volta o elegante interior da casa de lago. — Para ser honesto, escolhi esse local por uma razão.

            Seu rosto assumiu uma expressão grave.

            — Foi aqui que sua filha morreu.

            A revelação pegou Richard como uma granada. Ele fora informado na prisão que sua filha morrera, mas, apesar de seus apelos, nunca soubera os detalhes de sua morte. Aparentemente, essa informação era “classificada”. Durante os dois últimos meses, passara horas e mais horas imaginando e se preocupando com o que acontecera a Isabelle no final. Ele nem mesmo pudera ir ao funeral dela!

            — Como? — perguntou ele, roucamente. — Quem?

            Collier encheu um copo de água para Richard.

            — Me deixe lhe falar sobre os Marcados…

            A história que ele contou, sobre conspiradores viajantes do tempo se escondendo nos corpos de homens e mulheres atuais, teria soado inacreditável para Richard quatro anos antes. Mas depois de ter sua própria vida manipulada por uma facção diferente do futuro, e ter sido fisicamente transportado dos anos 1950 para o século 21 e uma bola de luz, a história fazia sentido, pelo menos por enquanto. Mas o que isso tinha a ver com sua filha?

            — Os Marcados tentaram coagir Isabelle para que ela traísse o Movimento — explicou Jordan. — Quando ela se rebelou, eles a mataram. — Ele soltou um longo suspiro. — Ela sacrificou a vida para salvar a mim e a Tom Baldwin. Devia ficar muito orgulhoso dela.

            — Foi isso mesmo que aconteceu? — perguntou Richard. Concebida no futuro, e posta na vida adulta do dia para a noite, Isabelle se tornara uma jovem perigosa e volátil com habilidades extraordinárias. Embora ele sempre a tivesse amado, lutara para que ela superasse seus impulsos obscuros. Agora queria desesperadamente acreditar no que Jordan estava lhe contando, que sua linda filha encontrara a redenção no fim. — Ela fez a coisa certa?

            — Sua filha morreu como uma heroína — insistiu Jordan. — Eu estava lá. Eu vi com meus próprios olhos.

            Richard estava tomado pela emoção. Ele secou as lágrimas dos olhos.

            — Ela sofreu?

            Jordan balançou a cabeça.

            — Não por muito tempo. Terminou logo.

            Eles ficaram sentados em silêncio por vários momentos enquanto Richard processava o que acabara de ouvir. Ele lamentava a morte de sua filha, mas encontrava algum conforto no fato que ela realmente mudara sua vida, primeiro. Para ser honesto, ele temia que Isabelle ficasse ruim outra vez e fosse morta pelas autoridades em algum tipo de extermínio, mas aparentemente esse não era o caso. Ele queria poder contar a Lily que a filha deles ficara bem, mas então percebeu que provavelmente ela já sabia disso. Se houvesse alguma justiça nos cosmos, sua mulher e filha estariam juntas mais uma vez.

            Um pensamento sombrio lhe ocorreu. Seus olhos secaram-se e seu rosto ficou rígido. Ele levantou o olhar.

            — E os Marcados…?

            Jordan acenou com a cabeça, antecipando a resposta para a pergunta de Richard. Ele pegou um pedaço de papel do bolso em seu peito.

            — Três dos Marcados foram erradicados. Essa lista contém as identidades atuais dos sete Marcados que sobraram.

            Ele entregou o papel a Richard, que se espantara com os nomes na lista, que incluíam um assessor do presidente, um oficial de alto cargo no Vaticano, um grande produtor de Hollywood, um Shake Árabe rico, um general cinco estrelas, um burocrata chinês, e um tibetano mundialmente conhecido. Todos extremamente poderosos individualmente. Essas eram as pessoas responsáveis pela morte de Isabelle?

            — Onde você conseguiu isso?

            A resposta de Jordan o surpreendeu.

            — Tom Baldwin. Dada as conexões política dos Marcados, ele ficou de mãos atadas, então ele me passou a lista para que eu cuidasse desse problema para ele.

            Cuidasse? Richard começava a entender.

            — Quer que eu me livre dos Marcados. Usando minhas habilidades.

            — Não estou pedindo que faça coisa qualquer — declarou Jordan, cautelosamente mantendo o grau de negação. — Como um amigo, me senti impelido a lhe informar sobre as circunstâncias que dizem respeito à morte de sua filha e lhe passar as informações que dizem respeito aos assassinos dela.

            Ele olhou diretamente nos olhos de Richard.

            — Você é um ex-soldado. Tem uma habilidade impressionante, e todos os motivos para odiar os Marcados tanto quanto eu. Você é um homem livre. Sempre foi.

            Ele se levantou da poltrona.

            — Vou voltar para minha sede no centro da cidade. Por favor, sinta-se livre para permanecer nessa casa de lago o quanto achar necessário.

            Ele deixou a lista para trás.

Anúncios
comentários
  1. alan disse:

    ótimooo XDDDD

  2. guilherme disse:

    D+ cara otima tradução

    otimo capitulo!

  3. Vitor disse:

    Muito bom! E ainda vem muito mais =]

    PS: desanimado com o Promises Broken =[…

    • brenooficial disse:

      Eu esperava mais do Promises Broken, mas mesmo assim não está ruim…[spoiler] Agora que está começando a guerra…

      • Vitor disse:

        Eu percebo uma distinção entre os autores, que está clara nos trechos dos livros a eles destinados. O Greg Cox era realmente fã, e seguiu bem as características dos personagens da série, criando uma história muito bem trabalhada, com novas habilidades únicas e situações que passam perfeitamente como sequência da série – intrigantes e sensatas. O David Mack, por outro lado, escreveu por orientação e aproveitando o fim da série… demonstrou que não era igualmente fã. Infelizmente, Vinicius, vai pior muito a história. [spoiler…] Põe habilidades repetidas… faz Kyle / Collier / Maia e demais ter posturas que não teriam, sem contar que Diana e Tom ficam com brigas idiotas, em geral todos os personagens xingam muito. Se contradiz o tempo todo. Decepcionante.

  4. giulia disse:

    Nossa to gostando tanto!

    continue por favor

    e queria mais spoilers!

  5. Rodolfo disse:

    Valeuuuuuuuuuuuu

  6. guilherme disse:

    UhuuLLLLLLL!!!!

    esperando o capitulo 6 muito bom!

  7. Jonas disse:

    Eu discordo de ter piorado, o livro esta apenas começando e mesmo assim já tenho espectativas do que ira acontecer.

    Sera que cancelaram a série pelo aparecimento dos marcados? A série foi cancelada misteriosamente, os roteiristas estavam contentes com a audiência e já estavam panejando a 5ª temporada. Talvez os há uma conspiração intefirindo, mas é só uma teoriia haushaushaus

  8. kristiang disse:

    esta lista como os marcados é realmente surreal, para não dizer real, rsrsrs

  9. Beatriz M. Mogentale disse:

    Oiii… Vc nem imagina o quão feliz fiquei quando achei o seu blog com a tradução do livro q continuava a estória contada na série. Adorei a série “The 4400”, comprei o box com a série completa e fiquei extremamente desapontada quando descobri que tinham cancelado a produção das demais temporadas e que no último capítulo da 4ª temporada, não acabava a estória. Vc me tirou dessa raiva e agonia, pq tbm não sei inglês e não conseguiria ler o livro sem sua ajuda. Muito obrigada!!! PS: após esse 5º capítulo, acaba esse 1º livro?

  10. Gabriel disse:

    Estou adorando cada dia melhor

  11. mariana disse:

    Nunca entendi esse Jordan muito bem, mais vamos continuar …

  12. Jessica disse:

    totalmente viciada!

  13. alex disse:

    to gostando demasi, vou passar para o maior numero de pessoas possiveis, parabéns esta cada vez melhor

  14. raquel disse:

    Legal!to gostando muito de ler o livro

  15. thiago fescina disse:

    Muito obrigado pela tradução.

  16. Cris disse:

    Parabéns nao consigo parar de ler

  17. flávia disse:

    “IRMÃO E MARIDO AMADO”. Danny casou?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s