The 4400 – Promises Broken (Capítulo 12 traduzido)

Publicado: 26 de setembro de 2010 em The 4400

Segue o 12° capítulo, traduzido por Helena Padim. Continuem comentando!

DOZE

 

            — Não estou preparado para entrar em guerra com os Estados Unidos!

            Apontando para as cenas de destruição no mar na televisão de seu escritório, Jordan continuou.

            — Havia quase quatrocentas pessoas naquele navio! O que diabos você estava pensando?

            Kyle permaneceu de pé, em silêncio, diante da mesa de Jordan, olhando fixamente para o céu avermelhado através da janela do escritório, onde um sol vermelho-sangue mergulhava lentamente no horizonte.

            — Eu fiz o que Cassie me disse para fazer. Ela nunca errou antes.

            Jordan massageou as têmporas. Ele geralmente era uma figura calma e contemplativa, não dado a explosões, mas os últimos dias pareciam estar testando sua paciência.

            — Não quero saber o que Cassie falou. Eu te disse claramente para não usar de força sem me consultar. Você se esqueceu do que conversamos?

            — Não, não me esqueci — respondeu Kyle. — Era uma emergência. Fizemos o que devia ser feito para nos proteger.

            Recobrando sua postura zen, Jordan reclinou a cadeira. Ele mantinha a atenção em Kyle, que evitava olhá-lo nos olhos, preferindo observar a paisagem atrás dele.

            O líder da Terra Prometida levantou-se e passou por Kyle, parando em frente à televisão.

            — Nós sempre temos opções não-violentas, mesmo em uma crise — disse Jordan. — Dessa forma conseguimos manter elevada a moral da Terra Prometida. Derramar sangue desnecessariamente apenas gera mais violência e suja o nome do Movimento.

            Entre os dois, mas vista apenas por Kyle, Cassie, sua conselheira fantasma, disse com desprezo:

            — Diga que ele é um hipócrita.

            Propenso ao confronto, Kyle disparou para Jordan:

            — Você não parecia preocupado ao derramar sangue no seu Grande Passo Adiante. Estava pronto para aceitar cinquenta por cento de fatalidades mundiais com a promicina. Isto seria o quê? Três bilhões de pessoas mortas? E você quer que eu me sinta culpado por eliminar algumas centenas de militares que tentaram nos matar?

            — Aquilo foi diferente — rebateu Jordan. — Na época, eu achava que o potencial risco fatal da promicina era um dos preços que tínhamos que pagar para progredir como espécie. Agora vejo que eu estava errado. Não é preciso matar metade do mundo para salvar a outra metade. O que você fez hoje foi um crime.

            — O que fizemos foi legítima defesa — disse Kyle, aproximando-se de Jordan.

            Jordan manteve-se firme, sem se abalar com o tom desafiador de Kyle.

            — Legítima defesa não é sinônimo de vingança, Kyle. Não é este o propósito do Movimento.

            — Não, o Movimento aparentemente está enrolando e se fingindo de morto — rebateu Kyle. Cassie apoiou as mãos nos ombros dele, encorajando-o. — Os federais lá em Washington não vão nem desconfiar, e nem nos recompensar por nosso comedimento. Eles não respeitam quem leva facas para brigas com armas de fogo. A única linguagem que eles entendem é a da destruição mútua.

            — Eu me recuso a aceitar isto — respondeu Jordan, afastando-se de Kyle, que o seguiu. Jordan voltou para sua mesa e sentou-se. — Há caminhos melhores a seguir.

            Apoiando os punhos cerrados na mesa de Jordan e se inclinando para frente, Kyle perguntou:

            — Então por que você tem pessoal de prontidão no mundo todo, apenas esperando uma ordem sua para agir nas maiores cidades?

            — Isto é uma apólice de seguro. Um último recurso, não a primeira opção.

            Kyle endireitou e rejeitou o argumento de Jordan com um movimento das mãos.

            — Chame como quiser, Jordan. Mas Cassie e eu jogamos pesado. Se a Marinha Americana dispara um míssil contra nós, eles levam um míssil de volta. Não vamos atirar a primeira pedra, mas com certeza atiraremos a última.

            Momentos depois a porta se abriu, e a espevitada e jovem secretária de Jordan entrou, carregando um gravador digital do tamanho de um dedo. Ela se colocou à frente da mesa de Jordan, ao lado de Kyle, ativou o gravador e fez um sinal positivo com a cabeça.

            — Por favor, faça um comunicado oficial para a imprensa e o governo dos Estados Unidos — disse Jordan. — Ofereça nossas sinceras e profundas condolências às famílias daqueles que pereceram neste exercício de treinamento que terminou de maneira tão trágica. Se nosso pessoal puder prestar qualquer assistência à Marinha no sentido de descobrir por que o míssil tomahawk apresentou defeito, ou de recuperar qualquer parte do navio, estamos prontos para estender as mãos. — Ele acenou para a secretária sair, enquanto finalizava. — Coloque as assinaturas de praxe. Obrigado, Jaime.

            A atraente jovem saiu, fechando a porta atrás de si. Kyle voltou-se na direção de Jordan, que mais uma vez havia recuperado o semblante que era o modelo da mais beatífica calma.

            — Você quer aprender como lutar em uma guerra, Kyle? Então aprenda isto: às vezes a arma mais letal de todas é um comunicado para a imprensa.

Anúncios
comentários
  1. Fábio Magalhães disse:

    Nossa, o Kyle esta realmente se portando de maneira diferente.
    Qual é a da Cassie?
    Não queria ver esta discussão entre Kyle e o Jordan, por isso fui lendo em partes rs. (tava ansioso e com medo do que ia ler). De boa, esta serie me marcou tanto que este tipo de coisa acontece :).
    Vamo ver oque vai acontecer :).

  2. Paulo disse:

    Ótimo trabalho! Eu ainda estou lendo o outro livro, mas tem um capítulo com faltando a tag “The 4400” no post. Nada demais, nem lembro qual era.

    Vou acelerar a leitura para começar este livro logo!!!!

  3. Roger disse:

    jordan é foda !

  4. Aline disse:

    hahaha “comunicado para a imprensa” é boa.

    do jeito que ele é, pode fazer parecer que o Movimento não teve nada a ver com o acidente…

    a cassie é do mal rsrsrsrs
    tenho a impressão de que esse “domínio” dela foi só o começo.

    vamos aguardar…

    obrigada e até a próxima!

  5. Fábio Magalhães disse:

    Jordan para presidente rs 🙂

  6. Phell disse:

    Maaaaaaaaaaais!!!!!!!! =D

  7. Beatriz machado disse:

    Sabia q o Jordan não queria isso. Sou fã dele!!!!!!!!!!

    A impresa é o 4º Poder gente!

  8. Jun disse:

    Collier sempre consciente! “Cassie e eu jogamos pesado”… realmente, o autor do livro modificou completamente a personalidade do Kyle. Triste.

    Obrigado pela tradução!!!

  9. Bárbara disse:

    Otima tradução, agora vamos combina esse Kyle é muito fraco, sempre sendo feito de babaca … traz o Shaw de volta 🙂 e o Richard também!!!

  10. silvana disse:

    estou sentindo falta do shaum……………………………..este Kyle esta perdido nele mesmo…….

  11. Kelly disse:

    Acho que cheguei um pouco atrasada mas tô adorando o livro!! parabéns pela tradução!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s